Dia da Internet Mais Segura 2018

No âmbito do Dia da Internet mais Segura decorreu, no dia 6 de fevereiro, na Biblioteca da ES Raul Proença, uma sessão sobre segurança na Internet intitulada “Comunicar em Segurança”.

Esta foi dinamizada pelo Dr. Luís Couto, da Fundação PT e, apesar de ser dirigida a toda a comunidade escolar, pela hora a que decorreu (19:00 às 20:00) tinha na mira Pais e Encarregados de Educação.

Tendo em conta o público presente, penso que teria sido pertinente uma abordagem mais prática que conduza a uma alteração efetiva de comportamentos. Por exemplo, não basta dizer que as palavras-passe não devem corresponder a nomes ou datas relevantes para o utilizador, é preciso mostrar técnicas que permitam definir uma palavra-passe segura sem que o utilizador se esqueça dela.

Uma palavra-passe segura deve conter, pelo menos 8 carateres tão diversificados quanto possível, ou seja maiúsculas, minúsculas, dígitos e carateres especiais como, por exemplo, !, #, %, &.

Dicas para criar uma palavra-passe, minimamente, aleatória mas fácil de memorizar

  • Pense numa frase, por exemplo, “A minha palavra-passe é segura”, retire a primeira letra de cada palavra e acrescente um dígito ou carater especial entre elas. Neste caso ficaria A1m6p%e;s em que os dígitos 1 e 6 podem corresponder, por exemplo, ao dia do seu aniversário.
  • Pense numa palavra, por exemplo, o apelido do seu professor do 1.º Ciclo (Raminhos), e substitua todas as vogais por dígitos ou carateres especiais. Neste caso ficaria R0m3nh?s em que os dígitos 0 e 3 podem corresponder, por exemplo, ao mês do seu aniversário.

Sem esta componente prática arriscamos a que os comportamentos de risco, no que toca à Segurança na Internet, não diminuam apesar do número de sessões de sensibilização que ocorrem todos os anos por esta altura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *